Não é segredo pra ninguém que eu sou uma orgulhosa #loucadosgatos. Moro com seis lindos felinos no presente momento e convivo com gatos desde os quatro anos, quando meu avô morreu e minha avó comprou um siamês (Pompeu Antonio Gomes) para lhe fazer companhia. O gato acabou na minha casa e aí já era; comecei a catar todos os que via na rua e nunca mais parei. Já trouxe uma (Elei, a Perfeita) lá de Cuiabá, pra vocês terem uma ideia.

Mas não estou aqui para contar meu histórico com felinos; farei isso em outra ocasião.

Estou aqui para dividir conhecimento, posto que tenho certeza que uma parte de nossas leitoras também são #loucasdosgatos.

E quem tem gatos com certeza sabe: não dá pra ter sofá. Já tive inúmeros destruídos.

Tipo isso:

Screen Shot 2014-07-01 at 10.20.33 PM

Já tava assim quando eu cheguei, main

 

Já tinha até desencanado de ter um sofá bonito e incorporado a destruição como parte da decoração.

Mas ontem, colegas, ontem eu descobri que existem tecidos à prova de gatos!

O lance é escolher um tecido com a trama fechadíssima, que não permita que a unha do gato enganche. Se a trama for fechada demais, o gato se desinteressa e deixa o sofá em paz.

Os tecidos são: aquablock (resistente, porém acho feio e desconfortável), jeans (tenho um e apesar do tecido ser bastante resistente, suja fácil demais), e, finalmente, o mais massa e o que eu adquiri: suede. Suede é tipo uma camurça sintética, é bem bonito e não chega a ser indestrutível, mas tem a trama fechadíssima e torço para que eles foquem no sofá acima, já todo cagado, e nem tentem nada no novo.

Que é mais ou menos assim:

Screen Shot 2014-07-01 at 10.24.52 PM

Só gostaria de ter descoberto isso mais cedo na vida.

, , , , , , ,