Ontem eu estava curtindo uma roda de samba com amigos e começaram a tocar “Sem Compromisso“, do Chico Buarque.

Eu não sou muito de Chico Buarque, mas nada contra, tenho até amigas que amam. Meu maior problema com ele sempre foi aturar as hordas reproduzindo mecanicamente a ideia de que ele “entende a alma feminina“.

Ué.

Veja bem, como escrevi aqui, não tenho nem ilusão nem vontade de só consumir artistas/pensadores que falem apenas o que eu quero ouvir ou acredito. Mas tenho, isso sim, bem pouca paciência para simular que não estamos diante de um contexto escroto.

Isso não quer dizer que temos que deixar de lado o carnaval, pelo contrário. Passar um pano, simular que uma coisa não está acontecendo, é ficar congelada naquela realidade para sempre. O oposto disso é tomar a voz, a dianteira e aproveitar mais que nunca.

Um bom exemplo disso é o carnaval de 2015, com seus blocos cheios de mulheres maravilhosas.

ilu3

E começamos, aqui em SP, pelas minas foda do Ilú Obá de Min. Esse bloco está entre as coisas mais maravilhosas que presenciei em 2014 e se vocês não conhecem e estarão na cidade, tem que conhecer (e tem 3 datas para fazer isso, esse ano).

Formado só por mulheres, elas fazem um samba feroz que, além de tudo, traz visibilidade para e busca desmistificar as religiões afro brasileiras.

Ou seja, é lindo e é delicioso.

ilu2

Esse ano a inspiração do bloco é o centenário da escritora Carolina Maria de Jesus, uma mulher negra e pobre que desfrutou de sucesso em sua época, mas posteriormente foi totalmente esquecida. E essa retomada histórica é mais uma das coisas lindas de parar de passar panos: só deixamos de ser invisíveis quando notamos que esse processo ocorre.

vange

Outro aqui de SP que certamente contará com a minha presença é o Bloco Soviético. E esse ano ele parte homenageando a incrível mulher, artista e ativista Vange Leonel, uma de suas fundadoras. O bloco sai dia 7, do Tubaína, e conta com a belíssima marchinha abaixo. Vão aprendendo a letra, maravilhosas. Rss.

missandrinha

No RJ, o Bloco Comuna QUE PARIU sairá com o enredo: “Lugar de Mulher é… é onde ela quiser”. Claro que a gente não poderia concordar mais, né. Oh um pedacinho da letra pra ir treinando (rola ouvir inteira aqui):

Sou santa, sou puta, sou filha da luta
Machismo é porrada e piada sutil
Lugar de mulher é… é onde ela quiser!
E no Comuna Que Pariu!

comuna

O bloco sai dia 16, da Rua Alcindo Guanabara.

Também do RJ sai o Bloco das Mulheres Rodadas, dia 18 do Largo do Machado. O bloco, com sua linda missão de tirar onda com otário e defender a liberdade das mina, vai ser puxado pelas Damas de Ferro e pelo Ataque Brasil. As Damas de Ferro é uma fanfarra composta por 14 mulheres maravilhosas que promete um repertório amplo: de Britney até – isso mesmo- Chico Buarque (pra ninguém achar que tou sabotando o 100or).

damas de ferro

Quem tiver mais sugestões incríveis para rodar e sambar e dominar as ruas, é só mandar no Facebook, ficamos agradicidas.

No mais: preparem a fantasia, a coreô e o gogó e bora arrasar, que lugar de mulher é curtindo muito o carnaval (se ela quiser, claro)!

, , , , , , , , ,