Estava aqui fazendo umas pesquisas online para um futuro post sobre biquínis plus size (inclusive, quem tiver dicas de lojas, pode mandar pra mim que coloco na lista) quando esbarrei em um vídeo que amei muito e acho que todo mundo deveria assistir:

Esse é o meu corpo. Esse é o corpo de alguém que sofreu com um distúrbio alimentar. Esse corpo é incompreendido. Quando as pessoas o veem, elas acham que eu sento no sofá comendo McDonald’s o dia inteiro, quando na realidade eu nunca vi um Big Mac ao vivo. Eles me dizem que é errado. “Não é OK ser gorda”, eles dizem. “Você precisa ser saudável. Emagreça.” Mas quando me veem na academia, eles sussurram e riem alto o suficiente para que eu escute. Eu sou uma piada. Algo para ser enfiado em um buraco até estar bonita para os padrões de sociedade.

Mas antes que você me diga o que está errado com esse corpo, permita-me dizer o que está certo. Esse corpo pode correr por quilômetros sem me abandonar. Esse corpo é forte. Esse corpo tem curvas. Ele tem músculos e tem celulite. Esse corpo é movido a comidas saudáveis, mas não falha se o alimento com besteiras de vez em quando. Esse é um corpo tamanho 14, o tamanho médio da mulher americana. E deveria ser representado da maneira que ele é: lindo. Esse é o único corpo que terei para o resto da vida. Ele mostra minha batalhas e mostra meu progresso. Por que eu não deveria me orgulhar dele? Por que ele não deveria ser celebrado? Por que o caminho para a saúde não pode ser tão lindo quanto o resultado final? Eu sou grata por tudo que esse corpo fez por mim. Eu sou grata pelo caminho saudável que escolhi, mentalmente e fisicamente. Eu me orgulho do que superei. Esse é meu corpo.

Vontade de 1) dar um abraço nela; 2)  sair correndo e comprar todos esse biquínis, né? Para quem fala inglês e quiser assistir mais vídeos dessa linda, é só conferir o canal dela no youtube.

, , , ,