Semana passada estava lendo sobre looks que afastam os homens. Sim, pois agora além de hairstylists de pentelhos, os caras também são especialistas em moda.

Se um cara quiser opinar sobre a minha roupa é bom que esteja costurando ela, caso contrário não me responsabilizo. Então vamos começar do começo, bem didaticamente:

sei sim

Sabe uma coisa importante sobre isso? Não perguntei. Sério, mesmo. Não perguntei e não estou interessada nessa opinião por um motivo bem simples: não sou teus bibelô. Sujeito que acha que a mulher deve se vestir segundo ele acredita ser bonito e sensual, falar o que ele quer ouvir, pensar como ele pensa está apenas criando uma forma muito confusa e complicada de se relacionar consigo mesmo.

Daí, oh, prefiro não.

claro

Claro que devemos nos sentir bem, mas só se os homens (como se eles fossem um conjunto homogêneo) gostarem! Claro!

Aliás, pra mim, nada esfria o jogo da sedução como um cara babaca. Agora imagina um cara babaca achando que pode mandar em como eu devo aparentar. Nossa, só de ler isso já cansei tanto que parece que corri uma maratona.

Mas me enchi de esperança pensando que os looks seriam coisas absurdas. Sim! Talvez isso fosse capaz de recuperar minha fé na humanidade! Sim! Só que não :(

desleixo

Bom, primeiro de tudo, desleixo é deixar objetificação à mostra. Segundo, sujeito que vai lá e diz que odeia roupa que 70% das minas tão usando tem mais é que mudar pra Nárnia com seu terninho. Mas, opa, terninho também não pode!

terninho

Terninho é ainda pior, pois eles abominam! Amigos, está difícil defender vocês que abominam peças de roupas e acham que a lei do feminicídio é um exagero, sabe. Olha a escala de valores, gente!

No mais, sobre roupas masculinizadas posso apenas dizer que viver para além do binarismo de gênero é bom e eu gosto muito. Mas aí digamos que tu queira ser suuuuuuuuuper feminina (como se isso existisse) e agradar os bofes tudo. Daí pra isso tu coloque uma sainha de babados e brincões.

Não podeeee! Não esqueça que argolas são adereços de mulher vulgar e saias com babados, bom, leia por si mesma:

babados

Então deixa ver se entendi: não pode ser muito justo nem muito folgado, não pode ser muito masculino nem muito feminino.

Uffff. Depois a lenda diz que são as mulheres que nunca estão satisfeitas, fala sério.

Agora que vocês já opinaram, deixa eu dar minha opinião aqui: boto fé que estética é a régua de corte dos toscos. Não estou, com isso, dizendo que não somos todos influenciados por nossos próprios parâmetros estéticos, estou dizendo que isso é um deus meio tonto.

Mas, acima de tudo, me parece contraproducente para ambos os lados considerar essas merdinhas tão relevantes. Pensa bem, se formos levar esse tipo de cagação de regra por aí a sério mesmo, nunca vamos nos sentir bonitas o suficiente. Até porque nem todo mundo fala a mesma coisa e vamos ficar loucas tentando agradar geral esquecendo que a nossa função não é agradar ninguém.

E se a gente for pensar nos caras não fica menos deprimente, não. O sujeito pode estar do lado de uma pessoa fenomenal e só vai ficar pensando em como esses saltos altos o intimidam.

Sabe, cara, sério. Já ouviu falar do mundo real, com problemas reais? Muito prazer.

Como eu vejo, roupas são um tipo de linguagem que representa coisas sobre nós sem que precisemos falar. Isso pode ser bom ou ruim, ser bem aceito ou não, mas em ambos os casos não deveria ser algo moldado para agradar ninguém, porque se tu precisa mudar esses signos básicos para agradar alguém, essa pessoa ou não gosta exatamente de ti ou, mais provavelmente, não gosta exatamente de ninguém além do mundo de alienação e idealização da cabecinha dela.

Então bora pensar em vestir e ser e falar e existir de maneira menos generalista. Até porque imagina que coisa bem deprimente é a vida vivida como artigo produzido em série.

Sai foraaa! Então: pode sim, pode é muito!

, , ,