Felipe Neto (eu sei, eu sei) resolveu fazer um textão no Facebook pois foi injustamente acusado de gordofobia quando está apenas preocupado com a saúde das pessoas.

facepalmeterno

Vamos por partes, mas se segura que tá puxado:

Ontem resolvi dar uma desabafada no Twitter sobre algo que estou vendo crescer bastante no dia a dia em alguns lugares: a inserção do argumento “precisamos idealizar também o gordo”.

Correto. Hoje mesmo acordei com Testemunhas do Rei Momo batendo na minha porta perguntando se já ouvi falar das maravilhas da obesidade. Problema realmente sério essa idealização do gordo. Fico feliz que alguém resolveu falar sobre isso.

Não estou falando sobre não ser preconceituoso com gordos, porque isso está absolutamente correto. Estou falando da exigência de que os gordos sejam retratados como algo absolutamente natural e 100% aceitável em propagandas, games e tudo que possa remeter à idealização do corpo, principalmente o feminino.

Entenderam, né? Não pode ser preconceituoso, mas também não pode tratar como algo natural pois corpos gordos são sobrenaturais. Se encontrar com uma gorda na rua, grite e aponte para lembrar todo mundo que essa pessoa está indo contra as leis da natureza.

Ora, ora, ora… Devemos combater essa idealização escrota de que toda mulher precisa ser siliconada, rabuda e com barriga negativa? Claro, isso é uma estupidez sem tamanho que só prejudica a auto-estima feminina e alicerça o machismo. Já fiz vídeos sobre isso e falei inúmeras vezes sobre como devemos ser felizes com nossos corpos e como as mulheres com celulite, estria e gordurinhas devem se aceitar ao invés de buscar essa patética idealização estética.

MAS PERA LÁ!!!

OK, espero.

Vamos combater isso exigindo que façam a idealização da gordura?

Desculpe, mas a menos que você tenha um problema hormonal ou algo do gênero, ser gordo não é normal e não deve ser tratado como natural. Estar consideravelmente acima do peso não pode simplesmente virar cartilha de normalidade para o ser humano.

Mas que obsessão com o sobrenatural, né? Temo que se me encontrar na rua Felipe vai chamar os irmãos Winchester para lidar comigo.

Mas vem cá, me explica como funciona esse negócio de gordo hormonal ser OK e gordo não-hormonal não? Como que a gente faz na hora do bullying? Pede atestado médico?

– SUA GORDA!
– Calma, tenho atestado de problema na tireoide.
– Opa, desculpa. Achei que você era uma sobrenatural.

Estamos vivendo um problema SÉRIO de obesidade no mundo. O aumento do número de alimentos industrializados e processados, a ausência de informações suficientes sobre consumo de açúcar, glúten, lactose e diversos outros elementos nocivos à saúde humana. Dois terços da população americana já está consideravelmente acima do peso.

Entendi. Mas daí me diz uma coisa aqui, Felipe. Você não consome açúcar, glúten nem lactose ou outros elementos nocivos à saúde humana também, né? Seria meio chato você aqui sendo esse BASTIÃO DA SAÚDE e, sei lá, fumando escondido?

Screenshot 2015-07-30 at 18

Ops.

Cada vez mais pessoas estão morrendo em função da obesidade. E não é porque HOJE você é um gordo saudável que significa que você não deve se importar com isso, pois o sobrepeso com alto percentual de gordura é um risco constante que pode ocasionar em INÚMEROS problemas de saúde mais tarde.

E como fica a saúde mental nessa história, explica melhor? Decerto ficar lendo por aí que são aberrações da natureza não faz bem pra cabeça , né? Daí faz como quando essas pessoas desenvolvem transtornos alimentares, depressão, fobias sociais ou tentam se matar? No Ranking Felipe Neto de Saúde o que é mais importante, colesterol ou sanidade?

Não procure um corpo bonito, procure saúde. Se depois disso você quiser chegar a um corpo “bonito” (entre aspas porque beleza é subjetiva), claro que não há nada de errado nisso, mas pelo amor de Deus, precisamos de mais saúde e menos preocupação se estaremos ofendendo os gordos por recomendar coisas mais saudáveis!

Ufa, ainda bem que explicou que beleza é subjetiva, estava aqui em dúvida.

E, bem, como era de se esperar, por ter essa opinião fui acusado de GORDOFÓBICO, pois para algumas pessoas devemos, sim, colocar o corpo gordo como algo natural, ao invés de conscientizarmos para esse perigo e alertarmos as pessoas para que busquem saúde. Se isso te ofende, desculpe, mas provavelmente você deveria pensar: “por que isso me ofende?”

Por que isso me ofende? Amigo, não sei nem por onde começar.

Sabe porque você foi acusado de gordofobia? Por que falar que uma pessoa gorda não é natural é  basicamente a definição de gordofobia. Você está literalmente falando que pessoas gordas são aberrações. Se isso não é gordofóbico, o que é?

“Mas e a saúde, pense na sua saúde!”, gritará  a multidão.

Cara, da minha saúde cuido eu e ninguém tem absolutamente nada com ela. Sério mesmo. Não estou aqui pra provar que existem gordos saudáveis (existem) ou que magreza não é sinônimo de saúde (não é), estou aqui apenas para lembrar que saúde é algo pessoal e ninguém deve saúde pra ninguém. Nem pro pai, nem pro namorado, nem pro médico e, obviamente, nem pro Felipe Neto.

Mesmo que eu esteja lentamente me matando a cada coxinha com catupiry, isso é problema do Felipe Neto exatamente como? Porque ele é uma pessoa boa que deseja o bem de todas as pessoas? Me poupe.

O que Felipe Neto e todas essas pessoas tão preocupadas com a saúde das pessoas gordas precisam entender é bem simples: SAÚDE NÃO É UMA CONDIÇÃO PARA SER TRATADO COM RESPEITO.

Exigir respeito, exigir dignidade e exigir não ser retratada na mídia como uma aberração não é “idealizar o gordo”, é apenas querer ser tratada como um ser humano, como um indivíduo, e não como um problema a ser solucionado.

,