O Dia da Mulher não é sobre flores e celebrações de feminilidade, mas uma lembrança de todo o caminho que ainda nos falta percorrer para conseguir igualdade, mesmo depois de 40 anos da sua criação.

8 de março foi definido como Dia Internacional da Mulher pela ONU, em 1975, e tem origem em manifestações de mulheres russas por melhores condições de vida e de trabalho.

Ainda que os motivos permaneçam, todos os anos, nesta data, somos obrigadas a lidar com campanhas publicitárias, reportagens e afins que apenas reforçam ideias que não queremos. Não queremos a obrigação de ser “bonitas, mas lutadoras“, queremos direitos iguais para ser quem quisermos.

Então aqui vão algumas sugestões do que gostaríamos de ganhar nesse dia 8:

RESPEITO:

respeitoEu te respeito me respeitando

Respeito é um belo começo e não é muito difícil de conseguir. Uma boa receita de respeito é ver a mulher como um ser humano, seu igual, colega de mundo. Não somos objetos, não queremos ser símbolos de status. E se isso, em si, não for o suficiente, respeitar as minas também vai trazer outras coisas positivas, como um mundo com menos piadinha bosta e mais humor engraçado de verdade.

LEGALIZAÇÃO DO ABORTO:

 abortoJay e Silent Bob também são pelo direito de escolher, porque o corpo da mulher é assunto dela

Somos capazes de decidir o que é melhor para nós e maternidade não deveria ser algo compulsório. Com essa bela iniciativa, não só evitaríamos a morte de 1 mulher a cada 2 dias, no Brasil, como reconheceríamos que o Estado não deve se submeter aos interesses de grupos específicos, mas contemplar os reais problemas de saúde públicos.

IGUALDADE SALARIAL:

igualdade salarial

Não queremos ganhar chocolates, queremos ser capazes de pagar pelos nossos próprios doces. A igualdade salarial acabaria com a dependência financeira, que faz com que muitas mulheres sejam obrigadas a permanecer ao lado de parceiros escrotos e violentos apenas por não terem como se sustentar. Além disso, também acabaria com dados terríveis como o de que as mulheres negras ganham quase metade do que ganham os homens brancos, no país, e de que a imensa maioria da população mundial em situação de extrema pobreza é mulher.

FIM DAS VIOLÊNCIAS:

fim da violênciaPare com isso

A violência doméstica atinge 4 entre cada 10 mulheres. Uma mulher é estuprada a cada 10 minutos, no Brasil. 65% das mulheres assassinadas, no país, o foram por parceiros ou ex-parceiros. Se tu nunca parou pra pensar, esses dados basicamente querem dizer que as mulheres vivem em um universo paralelo cheio de sofrimento e costurado pelo medo. Boto fé que esse não é o mundo onde tu quer viver. Não é o mundo que nenhum de nós quer viver. Não faça, denuncie, se posicione.

 

, , , , , ,