Sabe aquele companheirismo que todos os casais de comédia romântica tem e que, normalmente, nos deixa tão frustrada de olhar para os nossos próprios relacionamentos? Acho que eu descobri o segredo dele.

Veja bem, tive 5 namorados, mas só 2 companheiros. Eu e os outros 3 também trocamos, claro, afeto e momentos legais, mas jamais experiências que tornam duas pessoas próximas e seguras de que, por mais compulsoriamente solitário que seja existir, um pouco de comunhão ajuda a nos deixar mais fortes para enfrentar as coisas ruins (e as boas, que elas também dão alto medo, vai).

E isso sempre me colocava meio triste. Não sou a maior adepta da frugalidade, mas juro que sempre que ouvia Guiding Star ficava pensando que saco era não ter em quem pensar ouvindo uma música tão linda. Então ontem estava lendo um texto e, deixa colar pra vocês:

Tu encontra pessoas com as quais tu tem importa e que se importam contigo e tu faz uma comunidade com elas.

E sabem o que me dei conta lendo esse texto?

companheirismoEu já tenho esse negócio de companheirismo, cara!

(daí cantei Guiding Star na cabeça fazendo um flashback mental das amigas e amigos maravilhosos e nossos momentos incríveis, tipo powerpoint de youtube)

E mais: os relacionamentos que eu tive e que não foram baseados em companheirismo, ainda assim foram tudo que podiam ser. Às vezes simplesmente não rola (e às vezes tu namora uns Homenzinhos de Merda, também, rs). Nada disso tem relação, necessariamente, com ser incapaz de ter algo assim. Menos ainda com esse tipo de afeto só existir para alguns ou uma ou duas vezes na vida.

Companheirismo é um desdobramento de sentir amor que nem todos tem em si ou querem ter naquele momento, mas ele existe em todos os tipos de amor.

E o grande segredo (que ninguém te conta) sobre companheirismo é exatamente esse: ele não está relacionado com sexo, mas está relacionado com amor. E existem muitas formas de amar. Nenhuma delas exclui ou é melhor que a outra, mas nem todas podem te dar essa sensação de amparo.

Isso quer dizer que nunca voltarei a ter um namorado com o qual seja capaz de desenvolver uma relação de companheirismo? Não sei, mas importa bem pouco, porque: eu já tenho isso.

toca aquiÀs vezes mais do que eu consigo lidar, até.

 

, , , , ,