Eleições aí, bom momento pra prestar bem atenção nas propostas dos candidatos, nos temas que eles abordam. O assunto transgênicos, quando é lembrado na política, muitas vezes é comentado por pessoas alheias à realidade atual.

Nos últimos anos, houve um aumento no cultivo de sementes geneticamente modificadas e esse aumento no cultivo significa aumento do consumo destes grãos, que são utilizados por grandes empresas na produção de alimentos diversos. Observe no supermercado: misturas para bolos, amido de milho, salgadinhos de milho e rações para os bichos geralmente apresentam na embalagem o selo amarelo, que informa a presença de transgênicos naquele alimento, direito assegurado por lei.

Imagem 1

Mas aí você se pergunta: quais os perigos estes alimentos, de fato, oferecem?

Bom, pra começar, o cultivo de lavouras geneticamente modificadas requer largo uso de venenos, muitos deles já banidos em alguns países devido aos riscos à saúde humana. Estudos já mostram a relação entre transgênicos e câncer e recentemente cientistas do mundo todo pediram a suspensão desse tipo de cultivo.

Imagem 2

A biodiversidade também fica ameaçada: desequilíbrio ecológico, polinização com sementes tradicionais e contaminação do solo e da água também fazem parte do cultivo de sementes geneticamente modificadas.

O motivo de tudo isso continuar é o mesmo de sempre: interesses financeiros das empresas produtoras de sementes e insumos químicos e colaboração de políticos que se omitem e colaboram para que tudo permaneça assim. Mas nós, cidadão comuns, podemos tomar algumas medidas pra mostrar que não queremos isso. O primeiro passo é observar os produtos e parar de comprar aqueles que vêm de transgênicos, o que já é um benefício geral pra saúde, visto que a maioria está em salgadinhos e bolos prontos. Rações para os bichos sem transgênicos são raras, mas existem. Você pode introduzir também alimentação natural a eles.

Comprar vegetais em feiras, de produtores locais, também é uma atitude que só traz benefícios pra todos os envolvidos e tira o lucro das grandes empresas para dar ao pequeno produtor, o que é ótimo para ajudá-lo a manter sua produção firme e forte. Por último, ficar de olho no posicionamento dos políticos quanto ao tema, falar sobre o assunto para que ele comece a entrar mais na pauta de todo mundo. Afinal, envolve comida, saúde e futuro e é impossível viver sem se importar com estes itens.

Imagem 3

, , ,