Mulher negra e o racismo no Brasil: protagonismo preto

O machismo e o racismo estão entre as práticas mais errôneas no nosso país. Por isso, hoje veremos uma lista com filmes nacionais que evidenciam a mulher negra e o racismo no Brasil para que você possa se inspirar no exemplo dos personagens protagonistas.

Lélia Gonzales, autora de As Divas Negras do Cinema Brasileiro, concedeu entrevista ao Brasil de Fato, na qual afirma que para toda mulher preta, o lugar que lhe é reservado é marginalizado. O desrespeito se revela inclusive quanto a sua capacidade profissional.

Estatísticas comprovam a fala da intelectual. Dados do IBGE mostram que há dois obstáculos bem claros nesse desafio diário: o machismo e o racismo.

Por essa razão, montamos uma lista com obras da sétima arte que são inspiradoras e ajudam no despertar da consciência acerca desses temas. Veja, a seguir, filmes nacionais em que a mulher negra e o racismo no Brasil são discutidos.

1. Temporada (André Novais Oliveira, 2019)

O filme se passa na região metropolitana de Belo Horizonte em Minas Gerais, para onde a personagem Juliana, uma mulher negra, se muda. Ela precisa se adaptar ao novo emprego, à nova rotina e espera pelo marido que em breve também se mudará para a cidade.

2. Café com Canela (Glenda Nicácio, 2017)

Outra obra sobre a mulher negra e o racismo no Brasil é Café com Canela, um filme dramático dirigido por Glenda Nicácio e Ary Rosa. Na história, a personagem principal enfrenta a morte do próprio filho, se separa do marido e se afasta dos amigos. Contudo, encontra Violeta, uma ex-aluna que mostra um caminho diferente para a sua vida.

3. Filhas do Vento (Joel Zito Araújo, 2005)

Protagonizado por Taís Araújo, Filhas do Vento é um filme que retrata a relação familiar de quatro mulheres que vivem no interior. Elas passaram 45 anos afastadas por causa de um incidente familiar, mas se reencontram após o falecimento do pai. A mulher negra e o racismo no Brasil estão entre os temas abordados, principalmente devido aos resquícios da escravidão no ambiente onde a narrativa acontece.

4. My Name is Now (Elizabete Martins Campos, 2014)

My Name is Now é um documentário que dispensa apresentações pois conta a trajetória de uma das maiores cantoras pretas do Brasil, Elza Soares. A película mostra como o sucesso, as perdas e o passar do tempo influenciaram na força e no poder desse ícone da música popular brasileira. Essa diva conquistou não apenas os palcos do Brasil, como também do mundo inteiro.

5. Kbela (Yasmin Thayná, 2017)

Um dos melhores curta metragens sobre a mulher negra e o racismo no Brasil é Kbela. O filme mostra como a luta das mulheres pretas pelo direito a autoestima é relevante no seu empoderamento e resistência. Inclusive, o direito a ter os seus cabelos naturais também é abordado. A obra foi premiada como o melhor curta metragem de diáspora na Academia Africana de Cinema em 2017. Vale a pena conferir.

Leave a comment

Your email address will not be published.